Insira a tendência de cooktops coloridos e estampados na sua cozinha (24/11/2014)

Cooktops-01

A tendência de móveis coloridos para compor a decoração da casa também chegou nas cozinhas. Agora você não precisa ficar apenas no branco básico, basta dar mais vida para esse ambiente tão importante da casa com cores vivas, como vermelho, azul, laranja, amarelo e rosa. O toque de cor vale tanto para os utensílios, como para os eletrodomésticos como os cooktops. Por isso, abuse das cores e estampas – com moderação, claro – e veja como combinar os cooktops coloridos e estampados com a decoração da sua cozinha.

Se você tem uma cozinha mais clean, com cores mais claras, as chances de errar na cor e na estampa do cooktop são mínimas. Assim, você fica mais livre na hora da escolha. Então você pode colocar estampas diversas, sem se preocupar muito com a cor. Inspire-se nas sugestões abaixo:

Cooktops-02
Cooktops-03

Mas se você não gosta muito de estampa, prefere as cores sólidas/lisas, dê um toque de cor em sua cozinha com os cooktops coloridos, como na foto em que o cooktop amarelo fez toda a diferença na cozinha em que o branco predomina.

Cooktops-04

Caso a sua cozinha tenha outros detalhes coloridos, como a tinta da parede, você também pode combiná-la com os cooktops estampados. Só é necessário buscar cores harmônicas que combinem ou que estejam no mesmo tom.

Cooktops-05
Cooktops-06
Cooktops-07
Cooktops-08

Se sua cozinha tem papel de parede estampado, não precisa ficar chateada, você também pode inserir a tendência nela com a mistura de estampas, outra tendência que vai deixar a sua cozinha ainda mais moderna e sofisticada. E não tenha medo de errar, basta optar por combinações harmônicas, como acontece com as cores.

Cooktops-09
Cooktops-10
Cooktops-11

Advertisements

Partilhar comida com os vizinhos e fazer uns trocos (01/09/2013)

Um dia há uns meses atrás,  Marieke Hart, uma vizinha aqui de Utrecht,  estava no seu jardim, quando das traseiras de sua casa, sentiu um cheirinho a pairar no ar. Era mais uma vez os cozinhados da sua vizinha, que enchiam o ar com uma apetitosa fragrância de comida caseira acabada de fazer. Marieke e o marido, encheram-se de coragem, e bateram à porta da sua vizinha e disseram-lhe que o cheiro era tão delicioso que um dia gostariam de experimentar os seus cozinhados. A vizinha, em vez que reagir com estranheza, ficou tão feliz com o elogio, que no dia seguinte lhes preparou uma sopa de abóbora.

Foi este o primeiro passo necessário para o nascimento da plataforma online de partilha de refeições entre vizinhos Shareyourmeal.net, que já se espalhou por toda a Holanda. Hoje são 40.000 as pessoas registadas na plataforma, como cozinheiros e como foodies, e 400 pessoas que diariamente entram na cozinha de um vizinho para partilhar uma refeição a um baixo custo.

Plataforma "Share your Meal"

E hoje fizemos parte desse número e entrámos porta a dentro da cozinha de uma vizinha aqui do bairro.

Para isso bastou ontem entrarmos na plataforma para fazer o registo, e uns breves minutos depois, descobrir uns 5 cozinheiros a menos de 500 metros de distância dispostos a partilhar as suas refeições com os seus vizinhos! Escolhemos então um deles baseado nos pratos que apresentavam na sua página, nos comentários e no preço. Depois foi só fazer o pedido,  escolher a data e a hora que gostaríamos de recolher o cozinhado e passar lá por casa de marmita na mão.

Há pouco lá passamos por casa da nossa vizinha para levantar o nosso pedido: duas doses de tajines vegetarinas,  deliciosas por sinal, que no total nos custaram 10 euros e ainda darão para outra refeição.

IMG_2255[1]

As vantagens desta plataforma? Para mim são muitas: não precisar de cozinhar (de vez em quando sabe bem), refeições caseiras a baixo custo, eliminar o desperdício (simplesmente às vezes é mais eficiente cozinhar para mais pessoas), fazer algum dinheiro e conhecer os vizinhos!

E é aqui, que esta ideia tem o poder transformativo de tornar comunidades alheadas e desconhecidas, em redes de partilha e cooperação. E pode começar com comida, mas estender-se a um sem fim de outros bens ou serviços.  E para nós, estrangeiros no nosso próprio bairro, partilhar uma refeição com alguém daqui parece ter um significado ainda maior, porque acaba por ser uma forma de integração.  O próximo passo será tentarmos ser também cozinheiros!

No entanto a grande desvantagem, é que os pedidos têm que ser submetidos pelo menos 24 horas antes da hora pretendida de entrega e aprovados, ou seja, ao fazer um pedido não é garantido que o cozinheiro esteja disponível. O que faz todo o sentido, até porque não se tratam de cozinheiros profissionais, apenas pessoas que querem partilhar o prazer de cozinhar e receber uns trocos.

Mesmo assim, eu estou completamente rendida a esta ideia e acho que faria muito sucesso em Portugal! Desse lado alguém já experimentou partilhar comida com os vizinhos?

Para quem quiser saber mais, pode ver este video do Tedx com a fundadora da Share Your Meal:

E boas partilhas!

Há mais no facebook: https://www.facebook.com/EspressoAndStroopwafel

Empresas incentivam cliente a cozinhar em casa e pretendem lucrar alto com essa proposta (08/04/2014)

Modelo de negócio pretende atrair, principalmente, quem mora sozinho ou quem quer melhorar a experiência de cozinhar

Reprodução
Kit da Gulalá para cozinhar salmão

Chamar os amigos e colocar a mão na massa. Essa é a proposta do Alecrim, serviço de entrega de kits para cozinhar em casa. O negócio veio como forma de responder à seguinte pergunta: como diminuir o tempo do ritual da alimentação (planejar, comprar, cozinhar, comer, lavar), sem reduzir seu valor nutricional e emocional?

A novidade brasiliense começou a funcionar esse fim de semana. Você escolhe um dos menus (mexicano ou de Páscoa) e recebe ingredientes e a receita em casa. O objetivo é atingir jovens que moram sozinhos e têm interesse por culinária, mas não tem tempo e nem prática.
Dar autonomia às pessoas e proporcionar momentos de união por meio do alimento é a filosofia por trás dos potinhos com legumes picados. Essa ideia aparece no texto da receita, que vem na forma de passo a passo e surgiu da necessidade de cinco jovens recém-formadas em trabalhar com alimentação como um elemento promotor de saúde, mas fora da lógica tradicional do nutricionismo.

“Quando o alimento vira só algo para encher sua barriga, você come qualquer coisa e ai tem todas essas distorções que qualquer produto que se diz alimentício serve”, explica a nutricionista e sócia da Alecrim, Camilla Ceylão, 24 anos.

Cozinha simples.
Foi para discutir empreendedorismo e inovação na área nutricional que Camilla, junto com as colegas de curso Giovanna Soutinho, 23 anos, e Luiza Torquato, 24, criaram o Aerar em julho de 2013. O evento consistia em encontros semanais com cerca de dez pessoas para compartilhar inquietações e tentar transformá-las em propostas reais.

Elas se apoiaram na metodologia do design thinking, que propõe testar na prática a ideia antes de lançá-la no mercado. “Não  tinha a menor ideia do que ia dar. Não sabia se ia no fim das contas ia escrever um artigo, fazer uma ação, uma intervenção urbana ou criar um serviço. Acabou que a gente resolveu que queria tocar o negócio”, conta Camilla.

Depois de três meses de discussões, foi a hora de testar o serviço. A também nutricionista Paula Gabriela Chianca e a chef Luiza Buscariolli entraram no time. O grupo vendeu sete kits para amigos com o perfil de público-alvo e escutou atentamente os feebacks. O principal ajuste foi no tamanho das porções, considerado grande por alguns no começo.

A primeira proposta concreta era ajudar quem saiu de casa há pouco tempo a cozinhar com mais qualidade no cotidiano, oferecendo porções individuais de alimentos simples. Durante o planejamento, o negócio evoluiu até os kits, sempre reforçando o elemento afetivo nas refeições. Pensando nisso, as jovens nutricionistas pensam em trabalhar com empresas no futuro, especialmente como team building, atividades de integração e treinamento em equipe.

Vai lá e faz.
O gosto de Camilla, Giovanna e Luiza pelo empreendedorismo começou na faculdade. Alunas de Nutrição da Universidade de Brasília, todas trabalharam na Nutrir – Consultoria em Nutrição, empresa júnior do curso. Camilla e Luiza foram, inclusive, fundadoras da EJ, em 2009.

Para Camilla, o perfil empreendedor começou a ser construído nesse momento. Antes, não pensava em ter um negócio próprio. “Isso acabou mudando pela vontade de fazer algo para mudar a realidade. Daí que veio a Nutrir, de querer fazer algo melhor pro curso, uma experiência mais prática”, revela.

Com a empresa júnior, a então estudante se envolveu cada vez mais com o empreendedorismo. Passou a ter contato com jovens empreendedores de startups e em 2012 participou da organização do Concentra – Encontro de Empresas Juniores do Distrito Federal. Camilla também é parte do Choice, movimento de jovens engajados com negócios de impacto social do Brasil, criado em 2011 pela Artemisa.

Você chef.
Em São Paulo, duas empresas têm propostas semelhantes ao Alecrim, mas com uma pegada gourmet. O Le Box, aberto em abril de 2013, oferece kits com prato principal, entrada, sobremesa e bebida. “A ideia é fazer o cliente ser o chef da sua cozinha de uma maneira pratica, rápida e sem estresse”, explica Melissa Garcia, proprietária da empresa.

A cada semana são dez opções de pratos principais, que servem duas pessoas. Basta escolher o menu e os ingredientes chegam junto com a receita numerada passo a passo na sua casa. O tempo médio de preparo é de 30 minutos.

Desde março, o site também tem um serviço de assinatura, o Clube Le Box, que dá direito a uma refeição na primeira quinta-feira do mês. Os preços variam de R$ 80,00 a R$ 115,00 e o tempo mínimo de adesão é de três meses. O plano é abrir franquias da empresa e ampliar o atendimento do clube em cidades próximas a São Paulo.

Também com uma proposta gourmet, começou a funcionar em fevereiro de 2013 o Gulalá. Atualmente são feitos cinco mil kits por mês na capital paulista. No site, são ofertadas de oito a 12 opções por semana, totalizando quase 50 receitas. O valor calórico dos alimentos pode ser consultado online.

O tempo de preparação varia de 15 a 45 minutos, de acordo com a dificuldade do prato. Segundo o sócio da empresa, Rodrigo Helcer, o objetivo é alcançar desde quem não sabe fritar um ovo até quem tem experiência com gastronomia e quer se desafiar com ingredientes elaborados. “A proposta é, sobretudo, trazer para dentro do universo da gastronomia quem achava que cozinhar era muito difícil”, afirma o empresário.

Para facilitar o preparo dos pratos mais complexos, há uma equipe especializada em traduzir a criação do chefe para uma linguagem acessível. Em vez de escrever ‘marinar’, por exemplo, o texto já explica o procedimento. A cada prato novo, cinco pessoas sem experiência testam e fazem ajustes antes de a receita chegar ao cliente.

Serviço Alecrim
Página no Facebook: https://www.facebook.com/oialecrim
Entregas somente no final de semana

Serviço Le Box
Site: http://www.lebox.com.br/
Página no Facebook: https://www.facebook.com/curtalebox
Página no Instagram: http://instagram.com/curtalebox
Encomendas ate as 16h do dia anterior

Na Casa Cor a tendência é receber bem e cozinhar para os amigos (06/06/2014)

Na Casa Cor de São Paulo deste ano a tendência das cozinhas gourmets se confirma nos ambientes de muitos profissionais. Como disse Adriana Giacometti : “É um ponto de encontro na casa, isso já está estabelecido”, Mas cozinhar na nova casa é um ato de prazer e oportunidade de convivência, por isso a opção de integrar funções.

Sig Bergamim- Casa Cor 2014 - Foto Fátima Amaral - _0052_tratada

Na cozinha de Sig Bergamin a abundância de flores e frutas traz a ideia de prosperidade, abundância e acolhimento generoso.

Paola Ribeiro - Casa Cor 2014 - Foto Paulo Falcão - 0031_1

A opção de Paola Ribeiro é por uma living que integra uma cozinha aberta e clara, aquecido por uma lareira suspensa Construflama.

_MG_2496Adriana_Giacometti_zezinho_tratadas

Adriana Giacometti faz o contrário, integra ambientes de estar e estudo a uma grande cozinha clássica com coifa em aço corten Construflama.

_MG_2441Francisco_Lopes_Zezinho_2014_tratada

Francisco Lopes também traz para o estúdio do chef, um ambiente de estar muito confortável com lareiras a álcool Construflama.

_MG_2556Ricardo_Rossi_zezinho_tratadas

Ricardo Rossi, em seu estúdio gourmet junta o conforto da lareira Construflama ao tradicional churrasco para os amigos, desta vez com uma churrasqueira clássica a carvão Construflama.

Ricardo Rossi - Casa Cor 2014 - Foto Paulo Falcão - 0022

Ricardo Rossi - Casa Cor 2014 - Foto Paulo Falcão - 0023

Para o braseiro, há alternativas modernas e que funcionam perfeitamente, veja o vídeo com outro projeto de Ricardo Rossi.

 

Empresas criam kits que ajudam a preparar comida de chef em casa (06/11/2013)

Numa caixa de madeira, estava a proposta de um jantar inspirado na culinária da Nova Zelândia para mim e três convidados. O tema não foi escolhido. Ele faz parte do esquema mensal do Les Gourmand Club, um novo “clubinho gastronômico” nos padrões dos sites que entregam kits de vinhos e cervejas.

A cesta vem carregada com (quase) tudo o que eu precisava para fazer um jantar completo em casa, com petisco (uma lata de azeitonas recheadas com castanhas), entrada (verrine de ameixas, presunto tostado e queijo de cabra), prato principal (carré de cordeiro com purê e mix de feijões) e sobremesa (pavlova).

É preciso ter alguns equipamentos que podem ser considerados básicos na cozinha, mas a improvisação faz parte da “experiência” (veja detalhes da preparação no álbum acima).

A ideia é receber todos os ingredientes que serão necessários e só se preocupar em cozinhar. Algumas empresas entregam, inclusive, tudo picadinho –o que não aconteceu nesse caso.

No dia do preparo, o azeite enviado não foi suficiente. Já o sal e os grãos de pimenta sobraram. Os ramos de alecrim que decoravam o prato principal na foto da receita não vieram, mas foram acrescentados fresquinhos direto da horta particular.

Embora as receitas sejam consideradas de fácil preparo, o clube só não é indicado para quem tem falta de habilidade total com a cozinha. Até aqueles que já se aventuram há tempos podem gostar da ideia de receber, mensalmente, uma sugestão de menu que inclui vinho harmonizado e uma trilha sonora indicada para ser ouvida via aplicativo para smartphones.

‘Mise en place’ numerada
Várias empresas entregam toda a “mise en place” (ingredientes porcionados em quantidades exatas e cortadinhos tais quais a receita exige) para que a comida seja preparada em casa.

Com o Le Box, a ideia é que o prato principal fique pronto em cerca de 30 minutos (no meu caso, exatos 32 minutos se levaram do início dos trabalhos à primeira garfada).

Uma porção de carré de cordeiro ao pesto com cuscuz marroquino para dois servem três pessoas pouco esfomeadas com tranquilidade.

No site, cada prato inclui uma sugestão de trilha sonora, que pode ser ouvida pelo computador.

O kit chega em uma caixinha com os itens em pequenos potes plásticos ou embalados, todos etiquetados seguindo uma sequência numérica, especificada na receita, que é impressa como um passo a passo. Fácil, fácil… Como uma receita de bolo.

PARA FAZER EM CASA

EMPRESA PRATOS QUANTO
Commodité Há pratos como risoto, pizza e alcatra e picanha da marca Wessel Principais, em média, R$ 70 (para dois)
Comidistas Kits como o Voilà France vêm com uma entrada, dois principais e uma sobremesa Como exemplo, o menu citado ao lado custa R$ 69,80 e serve de quatro a seis pessoas
Les Gourmands Club Assinantes recebem um tema variado a cada mês R$ 290 (para dois) e R$ 450 (para quatro), harmonizados com vinho
Gulalá Cardápio é variado e é preciso ter azeite, sal e pimenta em casa Funciona por créditos, vendidos a partir de R$ 59,90; cada crédito equivale a uma refeição para dois
Gourmô Novos pratos são lançados às segundas; kits entregues de quarta a sábado R$ 80, em média, como o risoto milanês com ragu de filé mignon (para dois)
Le Box Pratos são variados; também entregam entradas e opções de aperitivos e sobremesas prontas Em média, R$ 70 (para dois) o prato principal

Consumidores AB são mais abertos a experimentarem culinária exótica (08/08/2013)

Aumento da renda e do tempo livre nos últimos anos estimulam o consumo de pratos de outras culturas e a busca por restaurantes com cardápio étnico

O cenário econômico positivo impacta o consumo dos brasileiros, favorecendo a frequência de se comer fora. Pesquisa realizada pela Mintel mostra que consumidores de classes mais altas declaram ter aumentado o consumo fora do domicílio. Na pesquisa, que é parte do relatório Mudanças nos Hábitos Alimentares, 10% dos consumidores das classes AB declaram: “Meu salário aumentou nos últimos anos, o que me permitiu experimentar novos restaurantes”. Ao mesmo tempo, 6% dos consumidores das classes C1 e C2 fazem a mesma declaração.

Devido ao aumento de salário, aliado com maior tempo livre, consumidores da classe AB têm mais dinheiro e tempo para comer fora de casa. Aliás, 57% dos consumidores das classes AB, contra 47% dos pertencentes a C1, declaram que “comer fora é algo que você pode fazer com frequência”.
Cada vez há mais brasileiros interessados em culinária. Os consumidores de classe AB, além de comerem fora regularmente, também são mais interessados em experimentar novos restaurantes e alimentos do que os brasileiros de outras classes socioeconômicas. A abertura a novas comidas reflete, em parte, suas viagens mais caras, e isso também os influencia a terem um paladar mais aventureiro quando se trata de escolher as refeições de casa.
 Além de serem mais propensos a experimentar alimentos locais quando viajam, eles também são os mais abertos a comidas exóticas. O aumento da renda desses consumidores propicia mais oportunidades para os produtos importados e  a aqueles que seguem tendências internacionais no país, assim como para os produtos regionais e locais feitos no Brasil.
Ademais, enquanto quase três em cada cinco pessoas da classe AB declaram ter o hábito de comer fora de casa com frequência, segundo a pesquisa da Mintel, 16% deles comem usualmente em fast food. Isso destaca que o fato deles estarem mais propensos a comer fora não somente influencia a demanda por restaurantes gourmet, mas também traduz o desejo de comer em fast food que sirva comidas gourmet.
Estes dados apontam que existe uma oportunidade de atingir esse consumidor por meio de comidas diferentes e também por restaurantes fast food. Como esse tipo de restaurante oferece refeições rápidas, e os consumidores declaram estar comendo mais fora, existe a oportunidade de se oferecer comidas exóticas em restaurantes fast food ou de comidas rápidas no período do almoço, nos dias de trabalho.
Uma das oportunidades é a criação de restaurantes pequenos e rápidos especializados em um tipo de culinária ou prato apenas, o que simplifica o preparo e o atendimento, fazendo com que a refeição seja gourmet e rápida. Essas tendências já estão evidentes em alguns países; por exemplo, de acordo com o relatório Mintel Ethnic Restaurants and Takeaways – UK – March 2013, restaurantes que são especialistas em um tipo de comida estão crescendo, como, por exemplo, as casas especializadas em lamen, que oferecem um produto étnico de rápido preparo a um preço acessível. No Brasil, as temakerias também estão crescendo e apresentam formato similar.
Outro formato, popular em países como EUA e Reino Unido, são os food trucks (“caminhões de comida”). Seria um formato parecido ao que temos no Brasil, onde se compra comida de um veículo estacionado na rua, porém, em outros países, já há propostas que são mais gourmet e étnicas, como por exemplo, o food truck La Empanada nos EUA, que oferece empanadas argentinas, e o Ed’s Lobster Bar Kiosk, que faz receitas com lagosta. Esse tipo de negócio pode atender a demanda do consumidor de classe AB por comidas diferentes, rápidas, práticas e que podem ser consumidas on the go.

Electrolux lança site com livro de receitas integrado a refrigerador (15/05/2014)

Todas as receitas também estarão disponíveis no perfil do consumidor, permitindo consulta mesmo fora de casa, através do portal

A Electrolux acaba de lançar o DT52X, o primeiro refrigerador do Brasil formado em gastronomia com PhD em nutrição, que leva praticidade para o consumidor ter uma vida balanceada com o auxílio do aplicativo Vida Saudável, com sugestão de cardápios saudáveis para todos os perfis.

Para divulgar a novidade, a F/Nazca Saatchi & Saatchi criou um site que detalha todos os diferenciais do produto e permite que o consumidor insira receitas e conteúdos para ser visualizado na tela touch screen da refrigerador.

Para aqueles que já tiverem comprado o DT52X, o portal poderá ser utilizado como uma extensão de experiência do produto, em que é possível fazer o upload de receitas disponibilizadas pela Electrolux, além de adicionar suas próprias, colocando fotos e passo a passo da elaboração do prato. Tudo isso será adicionado ao repertório de receitas do produto.
A inclusão de receitas é viabilizada pelo aplicativo “Livro de Receitas”, que ainda oferece uma base de 650 pratos gastronômicos, além de vídeos com dicas exclusivas de culinária. Todos os proprietários interessados em adicionar uma receita própria, precisam criar um perfil no site.

Todas as receitas também estarão disponíveis no perfil do consumidor, permitindo consulta mesmo fora de casa, através do portal.

Dentre outros diferenciais do produto, está o “Vida Saudável”, aplicativo desenvolvido pela nutricionista e chef Maria Cecilia Corsi. São oito programas nutricionais completos para uma alimentação saudável de acordo com o perfil e o objetivo da consumidora.

O refrigerador DT52X, com acabamento em Inox, já está disponível na Casa Electrolux e o novo hotsite também pode ser acessado por meio do próprio site da Electrolux.


AGÊNCIA: F/Nazca Saatchi & Saatchi
CLIENTE: Electrolux
PRODUTO: DT52X
MÍDIA: Site
DIREÇÃO GERAL DE CRIAÇÃO: Fabio Fernandes | Eduardo Lima
DIREÇÃO DE CRIAÇÃO: Theo Rocha
REDAÇÃO: Leandro Dolfini
DIREÇÃO DE ARTE: Marcelo Ribeiro
ATENDIMENTO: Marcello Penna| Gisella Assumpção | Gabriela Marques | Luiza Gauss
PLANEJAMENTO: José Porto | André Foresti | Marcelo Bazan
MÍDIA: Fábio Freitas | Luana Gallizzi | Mateus Echeto
PROGRAMAÇÃO: Ariadne Gomes
DIRETOR DE TECNOLOGIA: Jefferson Russo
DIRETOR DE PROJETOS: Aline Verissimo
GERENTE DE PROJETOS: Beatriz Agnelli
APROVAÇÃO DO CLIENTE: Juliane Mussarelli | Rita Moraes