“Receitas da Carolina” aumenta em 143% a audiência do GNT na faixa noturna (05/11/14)

receitas-carolina-thumb
Atriz comanda atração de culinária no GNT

Apresentado por Carolina Ferraz, “Receitas da Carolina” tem feito sucesso no GNT, levando o canal a ser um dos mais assistidos na TV por assinatura.

De acordo com a colunista Patrícia Kogut, os seis primeiros episódios da atração colocou a emissora na lista dos cinco mais vistos da TV Paga, entre mulheres AB. Exibido às terças-feiras (22h30), o programa de culinária fez a audiência da faixa crescer 143%.

Considerado o segundo programa mais assistido do GNT em 2014, “Receitas da Carolina” estreou no dia 23 de setembro. A anfitriã apresenta receitas de pratos simples e rápidos, com algumas dicas utilizadas pela própria atriz.

Programas de TV para quem curte culinária (19/05/14)

Da cozinha simples à sofisticada, atrações e receitas para todos os gostos.

O chef francês Olivier Anquier faz uma expedição pela América Latina
O chef francês Olivier Anquier faz uma expedição pela América Latina

 Lucio Lefebvre, Anthony Bourdin e Nigella Lawson no comando de "The Taste"
Lucio Lefebvre, Anthony Bourdin e Nigella Lawson no comando de “The Taste”

Adora cozinhar, gostaria muito de aprender ou se mudou e está tendo que se virar? Pois a TV está cheia de atrações na medida para você. Jamie Oliver, Nigella, Gordon Ramsay… os nomes de peso são muitos e já conhecidos do público. Mas há também a culinária mais simples, como em “Tempero de Família”, do galã Rodrigo Hilbert. Se a ideia é ver os chefs duelando, não faltam competições, como “Hell’s Kitchen” e “The Taste”.

GRANDES CHEFS

A cozinha de Nigella (GNT)


Conhecida por jeito carismático e sensual, a chef britânica Nigella Lawson ensina a preparar refeições que promovem o prazer de se alimentar com pratos cheios de sabor e fáceis de fazer. No programa, o público encontra tudo para deixar a comida do dia a dia mais gostosa. Terças, às 13h, na GNT

Curso de culinária do Gordon Ramsay (GNT)


O escocês Gordon Ramsay é chef profissional há 25 anos e tem diversos restaurantes espalhados pelo mundo. Em seu programa, o chef ensina truques de cozinha e 100 receitas infalíveis e deliciosas para acabar com o marasmo das refeições do dia a dia. Domingos, às 18h, na GNT.

Cake Boss (TLC)


Buddy Valastro faz bolos quase impossíveis, enquanto ele e sua família lutam para gerenciar o crescimento da Carlo’s Bakery. Buddy enfrenta desafios semana após semana com pedidos de bolos cada vez mais incríveis: de caminhões de lixo a máquinas caça-níqueis funcionais à réplicas do Monte Rushmore e da Estátua da Liberdade. Quintas, às 21h30, no TLC.

Que Marravilha! Revanche (GNT)


Depois do chef francês preparar pratos irresistíveis e ensinar suas técnicas para aspirantes a ‘bons de cozinha’ o formato mudou, quem avalia Claude Troisgros agora é a família participante de cada episódio. O chef terá que reproduzir tão bem quanto seus herdeiros o prato especial de uma família, podendo trocar um ingrediente sem perder ponto. Quintas, às 21h, na GNT

Jamie Oliver (GNT)


Sempre preocupado em disseminar hábitos saudáveis, Jamie Oliver ensina pratos para o dia a dia. O famoso chef inglês é conhecido por seu jeito simples e prático de cozinhar e já lançou vários livros com suas receitas. Sábados, às 19h, na GNT.

COMPETIÇÕES

The Taste – O Sabor da Vitória (Fox Life)


Comandada por Anthony Bourdin, Nigella Lawson, Lucio Lefebvre e Brian Malarkey, a competição culinária é, literalmente, sobre sabor. Dezesseis competidores, desde chefs profissionais até cozinheiros de casa, preparam pratos para impressionar os jurados. O diferente é que todos os pratos serão julgados às cegas. Domingos, às 15h30, na Fox Life.

A Guerra dos Cupcakes (TLC)


A cada semana quatro chefes pasteleiros de cupcakes se enfrentam em três desafios eliminatórios até que só um deles seja o vencedor. O prêmio é de 10 mil dólares, além da oportunidade de mostrar seus cupcakes no programa. Candace Nelson e Florian Bellangersão os juízes permanentes, um terceiro juiz será apresentado a cada semana. Quintas, às 22h20, no TLC.

Hell’s Kitchen (TLC)


O chef Gordon Ramsay comanda a disputa entre 16 concorrentes pela possibilidade de chefiar um de seus restaurantes. Os concorrentes são divididos e duas equipes e enviados para a cozinha para preparar seus pratos exclusivos, sendo que um é eliminado a cada semana.

COZINHA DESCOMPLICADA

Tempero de Família (GNT)


No programa, quem comanda o fogão é o ator Rodrigo Hilbert, que apreciava as comidinhas caseiras feitas pela mãe e avó na sua infância, em Santa Catarina. Hoje o galã adapta as receitas aprendidas em casa à rotina atribulada. Ele abre o livro de receitas da família e prepara pratos conhecidos dos brasileiros, como cozidos e feijoadas. Quintas, às 20h, no GNT.

Fome de Quê (h&h)


A série apresentada pela chef e nutricionista Neka Menna Barreto. A curiosidade, a técnica e o conhecimento levaram Neka a entender melhor tudo que come. Os alimentos são os principais responsáveis pela sua harmonia e filosofia de bem-estar. Quartas, às 18h, no h&h)

Programa da Palmirinha (Fox Life)


Existe coisa melhor que comida de avó? Pois a Palmirinha ensina tudo o que sabe na companhia de seu boneco Guinho e de convidados especiais. Além das tradicionais receitas inéditas, preparadas com carinho pela vovó, os visitantes também preparam receitas especiais para serem provadas por ela. Qyartas, às 21h30, na Fox Life.

Bela Cozinha (GNT)


Para resolver as dúvidas sobre alimentação saudável, a nutricionista Bela Gil, filha de Gilberto Gil, recebe convidados para refeições descontraídas e mostra que é possível fazer pratos elaborados, saborosos e, ao mesmo tempo, saudáveis. Com receitas criativas, ela prova que comida de verdade não faz mal, se soubermos fazer boas escolhas. Terças, às 22h, no GNT.

Homens Gourmet (Fox Life)


Bom humor, irreverência e o toque masculino invadem a cozinha. Carlos Bertolazzi, Dalton Rangel, Guga Rocha e João Alcantara trocam ideias, experiências, brincadeiras e receitas entre si. Sextas, às 22h30, na Fox Life.

PELO MUNDO

Diário do Olivier – América Latina (GNT)


De moto, o chef francês Olivier Anquier faz uma expedição pela América Latina em busca de sabores, tradições e personagens marcantes. No roteiro, o cozinheiro descobre os encantos da Argentina, Chile e Peru. Quintas, às 20h30, no GNT.

Chef vs City (TLC)


Um tour culinário. Em cada episódio da série, os chefs Aarón Sánchez e Chris Cosentino desafiam dois aficionados locais numa aventura culinária cheia de ação para encontrar os lugares que servem comida e bebida mais ousadas e inesperadas da cidade. Segundas, às 22h20, no TLC.

Brasil no Prato (Fox Life)

Na sua 3ª temporada, o programa da chef Carla Pernambuco mostra o que São Paulo tem. Sem sair da capital paulista, ela prepara iguarias diversos cantos do Brasil e do mundo. Além de cozinhar e ensinar receitas variadas, ela também recebe convidados especiais. Todos os dias, às 10h30, na Fox Life.

Grade de culinária na TV aumenta 38% (04/09/14)

O que não falta na televisão são programas de culinária. Tanto na TV aberta como nos canais por assinatura. O tradicional formato da senhora sorridente dando o passo a passo da receita, ao lado do fogão, foi desdobrado em dezenas de modelos. Há pratos saudáveis, rápidos, para crianças; e aqueles que se degustam viajando pelo interior do país ou em terras longínquas. Há também atrações especializadas em bolos, em festas de aniversário; que dão dicas para melhorar cardápio de restaurante e shows que colocam amadores ou profissionais competindo para saber quem cozinha a melhor refeição. Para todos os gostos.

A segmentação fez com que o número desse tipo de atração desse um salto de 38% na grade de programação da TV no país nos últimos 12 meses, até julho. Segundo levantamento feito pelo Ibope para o Valor, em mais de 70 canais abertos e pagos, há 67 programas de culinária sendo veiculados na televisão brasileira – há um ano eram “apenas” 49.

O número de programas aumenta porque a audiência cresce. Novelas, programas de auditório, shows, futebol e jornalismo continuam no topo da lista das atrações mais assistidas pela maioria dos brasileiros. Mas os programas de culinária estão subindo no ranking. No primeiro semestre do ano passado ocupavam a 31ª posição, numa lista de 38. Neste ano, até junho, estão na 26ª.

O canal de TV por assinatura GNT, que integra a grade da Globosat, é provavelmente o que reúne o maior número de programas de culinária da televisão brasileira – são mais de dez. Os apresentadores Claude Troigros, Olivier Anquier, Rodrigo Hilbert, Bela Gil e Rita Lobo integram o time das produções nacionais, que neste segundo semestre ganha a companhia de Carolina Ferraz. A atriz promete dar um toque gourmet aos pratos do dia a dia. Há também os ingleses Jamie Oliver, Nigella Lawson e Lorraine Pascalle, além do escocês Gordon Ramsay.

“Culinária é um tema afetivo, capaz de reunir não só as mulheres, mas a família inteira ao redor da mesa ou em frente a TV. Por isso estamos constantemente atrás de novos formatos e diferentes formas de explorar o tema”, diz o diretor executivo comercial da Globosat, Fred Muller. A palavra-chave do GNT, diz ele, é reinventar-se. Ele dá um exemplo da segmentação implantada no programa do chef Claude Troisgros, que apresenta o “Que Marravilha!” há mais de três anos. “Desde então, criamos várias facetas para o programa: Que Marravilha Revanche, Que Marravilha Romance, e Que Marravilha Verão”, diz Muller.

No GNT, 65% dos telespectadores são mulheres, metade entre 25 e 49 anos. Neste ano, até julho, 21 milhões de pessoas assistiram à programação de gastronomia do GNT, diz Muller, citando dados do Ibope. E uma parte do público, além da TV, também consulta o site do canal na internet em busca de receitas.

No Now, sistema da Net pelo qual o consumidor pode alugar programas como se fosse um serviço de videolocadora, as receitas culinárias foram o conteúdo mais acessado do GNT em junho. Segundo Muller, foram 145 mil “views” (acessos), um crescimento de 45% com relação a maio.

Esse crescente interesse do brasileiro por temas gastronômicos já vinha sendo notado no mercado de livros há pelo menos quatro anos e pode ajudar a entender o fenômeno na TV. “Este movimento é forte no Brasil e no exterior”, diz Breno Lerner, diretor-geral da editora Melhoramentos, que já tem 10% das vendas atreladas a livros de culinária. Há cinco anos, essa fatia ficava entre 5% e 6%.

Lerner divide os leitores de livros sobre comida em quatro grupos: homens e mulheres que gostam de cozinhar pratos sofisticados nos fins de semana, assistem TV em busca de ideias e não hesitam em gastar até R$ 180 em um livro de gastronomia; o homem, ou a mulher, que mora sozinho e cansou-se de só comer comida congelada comprada em supermercado; a mulher que trabalha fora de casa e sempre está correndo para alimentar a família; e a mulher que se dedica apenas à sua casa, cozinha todos os dias e fica contente ao receber elogios à mesa. Esta última integra o maior grupo de consumidores de livros populares sobre comida, na faixa de R$ 10 o exemplar e ajuda a engrossar a legião de fãs de programas de comida na televisão.

De fato, alguns apresentadores de programas culinários na TV, mesmo estrangeiros, são tratados como verdadeiras celebridades pelos brasileiros. Há pouco mais de um mês, Buddy Valastro, astro do “Cake Boss”, programa do canal Discovery Home & Health que mostra o dia a dia de uma confeitaria em New Jersey (EUA), fez sua primeira visita ao Brasil. Atraiu uma multidão ao shopping Eldorado, em São Paulo, causando um congestionamento na Marginal Pinheiros em pleno domingo.

Os fãs de Valastro se divertem acompanhando a rotina do confeiteiro que comanda o negócio da família e a cada programa aceita desafios para produzir bolos dos mais variados temas – de um carro que vira robô a um vestido de noiva em tamanho natural, passando por um tubarão em pleno salto.

Desafios e competições entre cozinheiros amadores – um modelo que vem crescendo nos canais de TV por assinatura – também chegam à TV aberta. A Rede Bandeirantes estreou nesta semana a versão brasileira do “Master Chef”, uma franquia americana já vista em 145 países. Aqui, 16 candidatos disputarão, ao longo de 17 semanas, um prêmio de R$ 150 mil, uma bolsa de estudos de três meses na tradicional escola de gastronomia Le Cordon Bleu e um carro.

O tema gastronomia é bem elástico e abriga vários tipos de público. O telespectador que não aprecia “reality shows”, mas é preocupado com a saúde, em comer bem para sentir-se bem, também encontra alternativas na TV. A apresentadora Bela Gil, filha do cantor Gilberto Gil, é uma das atrações do GNT. Em suas receitas, vegetarianas, em geral, costuma usar ingredientes orgânicos.

No canal Discovery Home & Health, produtos orgânicos são usados pelo chef Emeril Lagasse. Os pratos são preparados dentro de uma loja da rede de supermercados Whole Foods – um modelo de merchandising que agências de publicidade no Brasil estão de olho.

A Talent é uma das agências que estão recomendando aos clientes anunciar em programas de culinária. “A oferta de conteúdo de programas de culinária aumentou e o horário, o espaço para o anunciante, também”, diz Rafael Amorim, diretor de mídia da Talent. “É possível inserir os produtos dentro do programa, em uma receita que está sendo feita”, diz ele.

Segundo dados do Ibope Media, publicados pela revista especializada “Meio & Mensagem”, os gastos em publicidade do setor de alimentos somaram R$ 1,5 bilhão no ano passado. O valor é bem menor quando comparado ao setor de varejo, o maior investidor do mercado publicitário nacional e que gastou R$ 6,5 bilhões em 2013.

Mas enquanto o varejo cortou a verba em 5% no ano passado, o setor de alimentos aumentou a sua em 28% em relação a 2012. O mercado publicitário como um todo cresceu 4%, para R$ 31,4 bilhões, no ano passado.

A diretora de planejamento da Talent, Ana Paula Lombardi, observa que a televisão também desempenha um papel que no passado era reservado às mães. Elas ensinavam suas filhas a cozinhar, passando adiante os truques da família. A apresentadora Rita Lobo incorpora bem esse papel. Além de ensinar o passo a passo da receita e de sugerir a louça onde a comida deve ser servida, ela dá dicas de como, por exemplo, tirar o cheiro do alho das mãos: basta esfregar os dedos na pia de alumínio.

A GNT está apostando em Rita, que desde o dia 4 de agosto já está na terceira temporada, com o programa Cozinha Prática, de meia hora de duração. A ex-modelo também mantém o site de receitas Panelinha, tem uma parceria com a editora Companhia das Letras para lançar livros de culinária de autores brasileiros e estrangeiros, e dá dicas de cozinha na rádio Eldorado.

Até o público infantil está contemplado nesta tendência. O canal por assinatura Gloob estreou em abril do ano passado o programa “Tem Criança na Cozinha”, onde dois meninos e uma adolescente procuram mostrar que cozinhar não é algo complicado. As receitas incluem pratos sem glúten e sem lactose e a terceira temporada já está no ar, desde 18 de agosto.

A gastronomia no mercado audiovisual é tema de palestra do Rio Content Market 2015

Executivos da Food Network, GNT, Grupo Bandeirantes e SambaAds participam de painel sobre o futuro do conteúdo da culinária no evento, que acontece de 25 a 27 de fevereiro, no Rio de Janeiro.

 O RioContentMaket 2015 apresenta o painel “O Futuro do Conteúdo de Culinária” com a participação de Adriana Alcântara, diretora de produção e marketing da Food Network na Scripps Networks Interactive; Suely Weller, coordenadora artística e de conteúdo do canal GNT; Rosângela Witcher, diretora de conteúdo comercial e merchandising do Grupo Bandeirantes para o programa Masterchef e Rodrigo Paolucci, CEO e fundador da Samba Ads, que falarão sobre o crescimento do tema gastronomia no mercado audiovisual e a grande demanda multiplataforma por este conteúdo.

“A valorização da gastronomia, sem dúvida, tem expandido os horizontes de todos os nichos relacionados ao assunto. Desde a formação profissional até o mercado de entretenimento, o público engajado com o assunto é grande e fiel. No setor audiovisual, principalmente entre os produtores nacionais de conteúdo, o resultado desta abertura tem oferecido qualidade e um volume de informação que não só pode, como deve ser absorvido pelas mídias”, comenta Adriana Alcântara.

 São inúmeros os projetos de sucesso que tem a gastronomia como o tema central e os palestrantes apresentarão as possibilidades narrativas da gastronomia, tema recorrente dos filmes no cinema que tem ganhado força e destaque na produção audiovisual com um todo. Seja em programas de TV ou na internet, as séries e documentários sobre culinária desperta cada vez mais seguidores. A grande demanda multiplataforma por este conteúdo também será exposta no painel do evento, no dia 25 de fevereiro.

O mercado de conteúdo está em constante mutação. Segundo Adriana, com ofertas e comportamento de consumo não linear crescentes e maior oferta de canais lineares cada vez mais segmentados, tornou-se necessário ajustes em modelos de negócios e principalmente na forma que pensamos e fazemos conteúdos. “Um evento como o RioContentMarket propõe uma troca de experiências, expectativas e desafios que vão desde a cadeia criadora/produtora até o anunciante, provocando uma evolução de todos os envolvidos para um mercado mais maduro e consequentemente mais rentável”, conclui.

Crescimento da economia e “era dos sozinhos” permitiram “boom” da gastronomia no Brasil, diz Olivier Anquier (15/11/13)

Olivier Anquier durante encontro com a imprensa de Cuiabá na quinta-feira
Olivier Anquier durante encontro com a imprensa de Cuiabá na quinta-feira

É notável que nos últimos anos a gastronomia teve um “boom” e cada vez mais pessoas se interessam pelo assunto, como profissionais diversos da área ou como consumidores – de comida e informação. O surgimento de tantas revistas e outras publicações dirigidas à atividade, o crescimento do mercado de restaurantes, a oferta de produtos ao grande público, os programas de TV e tantos outros eventos embasam esse momento.

Em Cuiabá nesta quinta-feira (14) para palestrar durante o 18º Encontro Regional da Associação Brasileira dos Bares de Restaurantes (Abrasel), o cozinheiro (assim ele gosta de ser chamado!) Olivier Anquier deu sua explicação sobre o crescimento.

Questionado pelo Olhar Conceito sobre este momento da gastronomia, Olivier – francês naturalizado brasileiro, precursor nas artes dos pães elaborados e de cozinhar para o público na TV no Brasil – afirma que é resultado da estabilidade econômica brasileira, consequência do Plano Real, aliada a um momento em que muitas pessoas passaram a morar sozinhas.

O “boom”, segundo Olivier, foi e é uma realidade mundial, mas teve seu período particular de desenvolvimento no Brasil possibilitado por aqueles fatores.

Com mais dinheiro no bolso o cidadão brasileiro começou a viajar mais, dentro e fora do país, conhecendo outros lugares e culturas. “As pessoas começaram a acumular referências, crescer, evoluir e, finalmente, a ficarem mais exigentes”, explica Olivier.

Com mais referências e exigências, o consumidor naturalmente passou a regular melhor o mercado da gastronomia, já que também tinha a possibilidade de ir com mais frequência a restaurantes.

E, em relação aos que passaram a morar sozinhos – seja porque se divorciaram, ou saíram cedo da casa dos pais, estudantes e outros – Olivier Anquier tem dois caminhos.

Com a crescente dificuldade de mão de obra doméstica, alguns desses “moradores solitários” passaram a consumir muito mais alimentos na rua, frequentando restaurantes e lanchonetes com muita assiduidade.

Outros, sem disponibilidade ou vontade de comer fora todo dia, passaram a “descobrir o mundo prazeroso de cozinhar em casa, passaram a sentir os prazeres e emoções que a culinária pode trazer”, destaca Olivier.

Palestra
Com muita simpatia e carisma, Olivier ministrou a palestra “10 anos de viagem em busca da culinária brasileira” com auditório lotado durante o encontro da Abrasel, no Centro de Eventos do Pantanal, contando aos presentes sua história de vida, como começou a relacionar-se com a gastronomia e toda sua trajetória até conseguir ter sucesso na área.

Millennials consomem cada vez mais vídeos de culinária no YouTube (06/14)

Pessoas com idade entre 18 e 34 anos, conhecidas como a Geração Millennials, estão acessando cada vez mais o YouTube para assistir a vídeos sobre culinária que inspiram, educam e entretêm. Elas são fiéis, altamente engajadas e estimularam um aumento de 280% nas assinaturas dos canais de culinária no último ano. Veja um estudo da Millward Brown Digital, da Firefly e do Google que traz insights e oportunidades para as marcas nesse mercado.

Você vai receber amigos para um jantar e precisa planejar o cardápio. Ou quer fazer a sobremesa que experimentou em um restaurante na semana passada. Mas quem pode te ajudar? O YouTube tem sido a resposta mais frequente. As pessoas estão recorrendo aos vídeos da plataforma para buscar ideias, inspirações e dicas sobre técnicas de culinária. Apenas no ano passado, as visualizações de conteúdo sobre comida e receitas aumentaram 59% e o engajamento social (como curtidas, comentários e compartilhamentos) cresceu 118%.

Para compreender melhor o que está impulsionando o conteúdo sobre culinária no YouTube, o Google, a Millward Brown Digital e a Firefly analisaram dados da plataforma de vídeos e conduziram uma enquete com os consumidores sobre os seus padrões de visualização. Os resultados foram analisados pelos seguintes executivos do Google: Jocelyn Delgado, gerente de desenvolvimento de indústria, alimentos, bebidas e restaurantes; Brad Johnsmeyer, analista de marketing; e Stan Balanovskly, analista sênior de análise, alimentos, bebidas e restaurantes. Eles concluíram que, embora praticamente metade de todos os adultos assista a vídeos sobre culinária no YouTube, os Millennials (de 18 a 34 anos) são os que veem a grande parte, assistindo em média 30% a mais de conteúdo sobre culinária na plataforma do que outros grupos demográficos.

Os Millennials apaixonados por comida são fiéis e estimulam o aumento de assinaturas dos canais de culinária em 280% ao ano. Eles também estão propensos a consumir esse conteúdo onde estiverem – 75% do aumento de visualizações no YouTube vem de dispositivos móveis. Outra descoberta é que os Millennials se engajam com conteúdo no YouTube de quatro maneiras específicas:

  • Mães Millennials: essas chefs confiantes amam comida e estão buscando inspirações criativas para novas versões das suas receitas de família. 68% delas compram produtos inspiradas nos vídeos a que assistem. Já 69% delas assistem a vídeos sobre culinária toda semana e 60% enquanto cozinham.
  • Mulheres Millennials: são chefs de ocasiões especiais que querem melhorar suas habilidades na cozinha. Apenas uma em cada quatro Mulheres Millennials se descreve como boa cozinheira – isso em comparação às Mães Millennials, em que o número aumenta para três em cada cinco. As Mulheres Millennials tendem a cozinhar mais para ocasiões sociais do que para as refeições regulares, buscando inspiração em vídeos de confeitaria. Embora três em cada quatro Mulheres Millennials estejam propensas a assistir a um conteúdo de marca sobre culinária, quase metade (43%) delas ainda não fez isso, representando uma oportunidade significativa para as marcas alcançarem novos públicos.
  • Pais Millennials: esses pais estão cozinhando tanto quanto as Mães Millennials. De todos os quatro segmentos de público, eles são os mais engajados com o conteúdo sobre culinária no YouTube, assistindo aos vídeos para se inspirar e criar refeições. Eles têm orgulho do seu papel como cozinheiros da família e são estimulados por novas técnicas, produtos e ideias. Levando em conta uma abordagem técnica sobre comida, os Pais Millennials tendem a buscar termos de “como fazer” ao invés de “receita”, quando falamos de vídeos sobre culinária. E 42% deles fazem uma visita especial ao mercado para comprar os produtos que viram nos vídeos.
  • Homens Millennials: eles são seguros na cozinha (60% se descreveram como “chef confiante” – duas vezes mais do que as Mulheres Millennials). Esse grupo foca no aprimoramento das suas habilidades culinárias. 69% dos Homens Millennials assistem a conteúdos sobre culinária no YouTube e adoram fazer isso, desde que os vídeos sejam divertidos e não simplesmente funcionais. Eles estão mais propensos a assistir a vídeos de culinária para serem entretidos por personalidades gastronômicas, como Jamie Oliver.

Como as marcas podem atrair esse público?

Embora todo mundo goste de uma boa refeição, as pessoas estão propensas a assistir a vídeos de culinária no YouTube por quatro motivos principais: entretenimento, exploração, expertise ou facilidade. E como as marcas podem se beneficiar desse público? Existem três maneiras fundamentais.

  • Inspire: considere aquele cara deitado no sofá depois de um longo dia de trabalho, pensando no que fazer com as sobras na geladeira ou como poderia cozinhar uma versão mais saudável do seu lanche favorito. Ele poderia acessar o YouTube para buscar inspiração em canais como o Ana Maria Brogui, com quase 1 milhão de inscritos. Não importa se o objetivo é quebrar a rotina semanal, aprender sobre uma nova gastronomia ou encontrar uma forma inovadora de impressionar os amigos. As marcas podem escolher criar esse conteúdo divertido e inspirador que seu público deseja ou fazer uma parceria com produtores de conteúdo.
  • Ajude: todo fã de culinária que pesquisa no YouTube está buscando um pouco de ajuda na cozinha, seja para preparar um jantar ou aprender novas habilidades. Ofereça um conteúdo que facilite a produção do prato, tanto com didatismo como usando a linguagem adequada. Outra dica é chamar profissionais já conhecidos para aumentar o seu alcance e engajamento nos vídeos.
  • Pense: hoje em dia, diversas marcas estão fazendo sucesso com os públicos de culinária do YouTube ao alinharem suas estratégias de mídia com o conteúdo existente na plataforma. Afinal, 78% das indicações de vídeos de culinária no YouTube para sites de marca são de consumidores de primeiro acesso. Chamar a atenção desse público entusiasmado é ainda mais fácil se as marcas conseguirem firmar uma parceria com uma das celebridades de culinária em ascensão no YouTube.

Os canais de culinária que são destaques no Brasil

1. Ana Maria Brogui – 993 mil inscritos

2. ‪Rolê Gourmet – 775 mil inscritos‬‬‬

3. ‪Danielle Noce – 334 mil inscritos‬‬‬‬‬‬

4. Receitas de Minuto – 224 mil inscritos‬‬‬

5. ‪Cozinha para 2 – 188 mil inscritos

As marcas precisam ficar atentas

Enquanto os fãs de culinária têm diferentes motivações para assistir ao conteúdo de culinária no YouTube, o alto engajamento desses públicos fazem deles especialmente valiosos para as marcas. Eles estão dispostos a investir, pois saem para comer com maior frequência e compram mais produtos alimentícios do que os não fãs de culinária.

Esse tipo de paixão representa oportunidades para as marcas que fazem uma conexão com esse público faminto por informação. O momento é perfeito para inspirar esses fãs de culinária e ajudá-los com as suas criações gastronômicas.

Fonte:
Millward Brown Digital/Firefly/Google, Culinária YouTube, maio de 2014. Estados Unidos.

Utensílios para cozinha e espaço gourmet são destaque em evento em São Paulo (05/2014)

O Weekend D&D apresenta novidades de utensílios de cozinha e objetos para espaços gourmet. Veja uma prévia do evento e inspire-se para renovar as peças da sua casa

Na cozinha ou em espaços gourmet, é essencial ter móveis práticos, como uma bancada, e peças multifuncionais e personalizadas (Divulgação Adresse)

Quem gosta de cozinhar, seja por hobby, diversão ou obrigação, sabe que a atividade pode ser muito mais prazerosa – e até divertida – se os utensílios e a própria cozinha forem modernos, práticos, multifuncionais e, por que não, bonitos. No próximo final de semana e também nos dias 11 e 12 de maio, o Weekend D&D, que abordará o tema gourmet, reúne móveis, acessórios e utensílios domésticos que garantem charme e personalidade aos espaços dedicados à boa gastronomia.